quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

-.- - Aprendendo o Bê-a-Bá

Bom, percebi que até agora meus maiores problemas foram relacionados a extração/lavagem do mosto.

No caso do lote 1, sua OG ficou extremamente mediocre, e isso foi causado pois eu completei o mosto com água em excesso na hora da fervura, sem me preocupar com a diluição dos açucares que isso causaria. Além disso acabei concluindo que havia algo errado com o meu fermento. Depois de ter feito o lote 2, observei o comportamento vigoroso do fermento dele e com isso conclui que tinha algo errado com a fermentação do lote 1. Então fiz um repitch(coloquei mais fermento), porém como não tinha mais do mesmo fermento, usei o Safbrew S33 que foi o mesmo tipo que havia usado no lote 2. Achei uma pena não ter o mesmo fermento, porém fiz isso após ler em um ebook que peguei que têm gente que experimenta com vários fermentos em diversos estágios da fermentação - não que eu queria experimentar... mas acabou sendo necessário. Passado umas 12 horas, o lote 1 finalmente se encontrava em atividade. Veremos no que vai dar.

No caso do lote 2, adicionei muita pouca água durante a fervura, mesmo só pra repor aquilo que ia evaporando. A válvula de extração ajudou demais a facilitar pra tirar o mosto da panela. Além disso, preferi jogar o starter na tina de fermentação numa temperatura mais abaixo do recomendado, do que uma acima, afim de evitar matar o fermento.

Por outro lado, ainda no lote 2, a extração do mosto da parte do bagaço, foi complicada. Descobri que deveria ter feito uma lavagem do mosto. Como isso? Pelo que entendi, quando se vai fazer o mosto não se deve colocar a quantidade de água total que quer se obter(até pode, mas aparentemente o pessoal põe menos, só o suficiente mesmo), ao invés de por 20L ou 22L inicialmente, deveria ter posto uns 14L pra fazer o mosto...

Uma vez o mosto feito, ao invés de extrair este diretamente filtrando só com a peneira, deveria ter recirculado o mesmo afim de dar um aspecto mais cristalino. Acontece que pra isso eu preciso do fundo falso, ou de uma Bazooka, que nem a do Marcelo Rosa. E antes mesmo de começar essa recirculação já deveria ter uns 10 ou 14 litros de água no total, esquentando em outra panela pra fazer a lavagem do mosto(77C ou 78C).

A recirculação pode ser feita com auxílio de uma bomba de máquina de lavar roupa adaptado com mangueiras, ou manualmente, com o auxílio de uma caneca, drenando pela válvula extratora o mosto e *lentamente* devolvendo-o a penela. Como o mosto vai saindo cada vez mais limpo, chega uma hora em que ele fica cristalino.

Uma vez cristalino o mosto(quando se olha pela mangueira, ou pra caneca, e o líquido tá fluindo mais limpo), vira-se a mangueira(ou a válvula da panela) pra outro caldeirão e esvazia-se a tina de cozimento.

A partir daí, prossegue-se ao sparging/lavagem do mosto. Deve-se jogar algo entre 5 a 7 litros da água quente no caldeirão que tá com o bagaço, e recircular um bucado pra lavar o bagaço afim de se extrair o máximo possível de açucares. Depois de um tempo deve-se desviar o fluxo pra o outro caldeirão novamente, e repete-se o processo com o restante da água quente.

Pode ser que a quantidade de mosto que vai pra a fervura, será uma quantidade bem superior ao que se deseja obter, e com uma OG inferior ao que se vai obter depois que a água evaporar... Mas nesse método com certeza eu teria obtido no 2o lote, uma quantidade bem superior aos miseráveis 14L que vingou, e ainda com uma OG boa.

Na figura ao lado, emprestada do artigo do Guilherme Santi, dá pra ver uma ilustração do processo de recirculação. A ilustração mostra basicamente uma lautering-tun que nada mais é do que um esquema que utiliza a própria parte sólida do mosto como filtro. Como a bomba puxa o mosto por baixo do fundo falso, este vai jogando as partículas mais finas na superfície, que por sua vez não conseguem descer, pois o mosto atua como uma cortina que cada vez mais deixa passar só liquido.

2 comentários:

Fabio disse...

a bazooka voce pode fazer com um cano de cobre todo furado com uma das pontas amassado, e tu veste ele com uma malha igual a de bloquear mosquito. Quando for usar para ferver tu retira se nao vai derreter a malha, se tu arrumar uma de metal me fala!

CroniX disse...

Fábio,

Valeu pela idéia, ainda não sei o que vou usar, parece uma solução bacana e rápida. Acho que o ideal seria uma telinha de metal pra ficar mais resistente. O que eu vi o pessoal comentar sobre telinha de metal, é sobre aquela mangueira de cobre trançado que têm em volta da mangueira do gás, que se liga no fogão... Ainda não sei onde vou arrumar isso... Mas a sua idéia parece ser mais fácil de arrumar as coisas pra por em execução. Tão logo arrume alguma solução posto aqui.

Abraço